Pular para o conteúdo principal

Destaques

My life is a mess pt 11 - Manhã conturbada

Alguns finais de semana, Leonardo vem buscar a Margô para ficar com ele. Eu evito que ele venha buscar a Margô em casa, sempre peço pra minha tia ou o Barry entregar ela a ele, mas por azar nenhum deles iriam poder hoje.
---
Some weekends, Leonardo comes to get Margo to stay with him. I avoid him coming to get Margô at home, I always ask my aunt or Barry to give her to him, but by chance none of them would be able to do it today.

**Ronnie POV** Ué, quem a Boo ta falando já cedo? Parece que tem alguém lá embaixo com ela...
---
**Ronnie POV**  Hmm, who's Boo talking to so soon? Looks like there's someone down there with her...

**Ronnie POV** Eu decidi descer pra saber quem tava com a Boo já cedo lá embaixo... até achei que fosse o Barry, mas para minha “surpresa” era o ex noivo da Boo. Quando vi ele tão perto dela, meu sangue subiu...
**Boo POV** Eu evito ver o Leonardo, porque me incomoda muito, principalmente porque ele sempre gosta de me encher a paciência.  Porém hoje ele m…

Família + História/Family + Story



Vamos contar uma história...

Bem, a família de meu pai, era católica, e a parte do meu avô era de Portugal, e de minha avó dos Estados Unidos. Meu avô se mudou para NYC quando adolescente, assim conhecendo minha avó, que engravidou cedo de meu pai, e ele era filho único.

Já a família de minha mãe, era da Estônia, cidade de Elva. Meus avós maternos resolveram se mudar para os Estados Unidos, pois surgiu uma oportunidade de trabalho para minha avó, que era chefe de cozinha. Como minha tia Agnes era a única maior de idade e mais velha das filhas, ela continuou morando na Estônia, tomando posse da casa, (como é até hoje), e teve um único filho chamado Ben. Meu tio, qual ela é casada, trabalha como médico cardiologista, e se chama Richard. A filha do meio, é minha tia Marrie, a minha tiamãe, e minha mãe a mais nova, chamava Annie.

Meu pai chamava Jordan, e conheceu minha mãe no colégio quando crianças, e desde então se apaixonaram.
Mas infelizmente esse namoro não foi aceito quando eles eram mais velhos, principalmente quando decidiram se casar, pelo simples fato: religião. 
Meus avós paternos não aceitavam que a família Kõiv praticassem a bruxaria natural, tomando isso como algo "do mal". Minha mãe era a ÚNICA que seguia a igreja também, mas mesmo assim não foi aceita. Meu pai, não se importando com isso, se casou com minha mãe. Eu, sou a irmã mais velha, e Barry veio um ano depois de mim. Meus pais eram donos de um dos melhores restaurantes de Nova York, e eu e meu irmão puxamos o dom da culinária por causa deles (mais minhas tias ). Minha tia Marrie tem seu Bistrô, que hoje divide com meu irmão, e minha tia Agnes tem uma confeitaria em Elva - Estônia. 
Enfim...a parte triste, é que quando eu era criança, meus pais foram fazer uma viagem a uma cidade próxima, e na volta para Nova York, começou a chover e infelizmente sofreram um acidente. Eu estava com meu irmão, e foi um dia antes do aniversário dele, por tal motivo ele não gosta de comemorar. Meu pai faleceu na hora, e eu lembro da voz da minha mãe me chamando, dizendo pra eu ficar calma.
Quando os socorristas chegaram, levaram meu irmão que mal se machucou, e logo em seguida eu. Fiquei me perguntando o que iria acontecer, quando finalmente minha tia Marrie apareceu por lá. Depois, tivemos a notícia que minha mãe não resistiu, e digo a vocês, esse foi o pior dia de nossas vidas. 
Desde então, cresci na parte mais afastada de Nova York com minha tia Marrie, e meus dois primos, Zoe, que é mais nova, e Alex, meu primo mais velho.
Aquele loirinho de óculos, no colo da tia Agnes, é o Ben, o primo que está passando uma temporada comigo em NYC.
Mesmo com algumas tristezas, sempre fomos uma família unida. Infelizmente, não tenho contato com minha família paterna, mas assim sigo.
______

Let's tell a story ...

Well, my father's family was Catholic, and the part of my grandfather was from Portugal, and my grandmother from the United States. My grandfather moved to NYC as a teenager, so meeting my grandmother, who became pregnant early from my father, and he was an only child.
Already my mother's family was from Estonia, city of Elva. My maternal grandparents decided to move to the United States, as a job opportunity arose for my grandmother, who was a chef. As my aunt Agnes was the only older and older of her daughters, she continued to live in Estonia, taking possession of the house (as it is today), and had a single son named Ben. My uncle, who is married, works as a cardiologist, and is called Richard. The middle daughter is my Aunt Marrie, my auntie, and my youngest mother, Annie.
My father called Jordan, and he met my mother in high school as a child, and since then they have fallen in love.
But unfortunately this courtship was not accepted when they were older, especially when they decided to marry, for the simple fact: religion.

My paternal grandparents did not accept that the Kõiv family practiced natural witchcraft, taking it as something "evil." My mother was the ONLY one who followed the church as well, but it was never accepted. My father, not caring about it, married my mother. Me, I'm the big sister, and Barry came a year after me.

My parents owned one of the best restaurants in New York, and my brother and I pulled the culinary gift because of them (plus my aunts <3). My Aunt Marrie has her Bistro, which she shares today with my brother, and my Aunt Agnes has a confectionery shop in Elva - Estonia.
Anyway ... the sad part is that when I was a kid, my parents went to take a trip to a nearby city, and on the way back to New York, it started to rain and unfortunately they had an accident. I was with my brother, and it was the day before his birthday, so he does not like to celebrate. My father passed away at the time, and I remember my mother's voice calling me, telling me to stay calm.
When the rescuers arrived, they took my brother who barely hurt himself, and soon after I did. I wondered what would happen when my Aunt Marrie finally showed up there. Then we heard the news that my mother could not resist, and I tell you, that was the worst day of our lives.
Since then, I grew up in the furthest part of New York with my Aunt Marrie, and my two cousins, Zoe, who is younger, and Alex, my older cousin.
The one with the glasses on Aunt Agnes' lap is Ben, the cousin who is spending a spell with me in NYC.

Even with some sadness, we were always a close family. Unfortunately, I have no contact with my paternal family, but I still follow.

Comentários

Postagens mais visitadas